Árbitro relata pedra e ofensas de Diego Souza, mas não cita pênalti polêmico.
Tite elogia Bélgica e admite favoritismo do Brasil: "Pela história e o que vem fazendo"
Maioria das mortes violentas em SP é causada por conflitos interpessoais ou pela polícia.
Renca: governo revoga decreto que liberava mineração em reserva na Amazônia

Sobre Caatinga e Caatingueiros Parte 1/6

Sobre Caatinga e Caatingueiros Parte 2/6

Sobre Caatinga e Caatingueiros Parte 3/6

Sobre Caatinga e Caatingueiros Parte 4/6

Sobre Caatinga e Caatingueiros Parte 5/6

Sobre Caatinga e Caatingueiros Parte 6/6
POR QUE NINGUÉM DIZ A VERDADE SOBRE OS CURSOS DO PRONATEC?
Esmeraldo Lopes


É impressionante a incompetência da oposição – se é que existe – e da imprensa. Dilma transformou o Pronatec em vitrine de sua campanha e ninguém ousou verificar as condições de funcionamento dos cursos. Tirando os cursos ministrados pelo Sistema S (Senai, Sesc…), o restante, com exceções realmente excepcionais, é ministrado por instituições que não dispõem da menor condição para tal.

Os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (IFs), que gozam de uma certa consideração da sociedade, não dispõem de estrutura adequada, conhecimento técnico e quadro para tal. Se implementaram os cursos, foi tão-somente como medida de captação de recursos e por interesse de professores e funcionários administrativos. Estes passaram a disputar a tapa uma vaga para ministrar disciplinas nos cursos, pois, no mesmo horário de trabalho no IF – às vezes em prejuízo às atividades normais para as quais estão contratados – pegam turmas do Pronatec e por cada aula recebem R$ 50,00.

TODOS GANHAM, MENOS OS ALUNOS

Como muitas disciplinas nesses cursos dispõem de uma carga horária de 20 aulas, aí já embolsam R$ 1.000,00, extras, caso peguem apenas uma turma. Funcionários administrativos agem pela mesma forma. Há os que dão aula e há os que recebem um extra pelo simples fato de desenvolverem atividades para o curso. Assim, se um funcionário tira cópias xerox para o Pronatec, exige e recebe pagamento extra.

O coordenador dos cursos recebe uma boa remuneração extra e a Instituição recebe por aluno. Quero dizer: ganha a Instituição, ganha o professor, ganha o funcionário, mas os alunos se lascam, pois os cursos, como regra, não capacitam ninguém a nada.

E os alunos? Bem, a maioria desiste, mas para garantir o faturamento a Instituição mantém o nome deles como se frequentando estivessem.

Como mecanismo de atração e manutenção dos alunos no curso, resolveu-se oferecer um bolsa a cada um deles, talvez a única vantagem que possam obter. No saldo do tudo, o Brasil se lasca. E o grave é que ninguém investiga. Quem duvidar procure um aluno que faça que tenha feito curso do Pronatec em algum IF e pergunte a ele.

(Texto publicado na Tribuna da Internet em 10 de junho de 2015. Por solicitação de alguns leitores coloco-o no espaço de opinião).

19/02/17

Voltar
escort bayan
Júpiter.com.br - Esmeraldo Lopes - Todos os direitos reservados