Árbitro relata pedra e ofensas de Diego Souza, mas não cita pênalti polêmico.
Tite elogia Bélgica e admite favoritismo do Brasil: "Pela história e o que vem fazendo"
Maioria das mortes violentas em SP é causada por conflitos interpessoais ou pela polícia.
Renca: governo revoga decreto que liberava mineração em reserva na Amazônia

Sobre Caatinga e Caatingueiros Parte 1/6

Sobre Caatinga e Caatingueiros Parte 2/6

Sobre Caatinga e Caatingueiros Parte 3/6

Sobre Caatinga e Caatingueiros Parte 4/6

Sobre Caatinga e Caatingueiros Parte 5/6

Sobre Caatinga e Caatingueiros Parte 6/6
RECICLAGEM
Esmeraldo Lopes

O planeta está se reciclando. Há quem diga que a temperatura tenha entrado em reviravolta. Não sei se é verdade, mas o desandamento dela bate em nossa fronte. Dizem alguns cientistas que o nível das águas dos oceanos subirá dois metros ou três, na brevidade de pouco tempo, e que faixas imensas de terras em regiões densamente povoadas ou não serão inundadas e que ilhas oceânicas imensas desaparecerão. E águas doces subterrâneas e milhares de quilômetros de rios, e lagoas, estão sendo invadidos por águas salgadas, perdendo serventia para plantação, para apascentação de sede. E a anunciação da previsão de que áreas semi-áridas se transformarão em desertos, áreas tropicais ganharão vida semi-árida, áreas temperadas vestirão roupa tropical e até que espaços de regiões glaciais se desnudarão do gelo e se darão a algum tipo de cultivo. Não sabemos no que essa reciclagem dará na chegada ao seu final. Mas o ver de agora anuncia que milhões e milhões de pessoas se deslocarão tangidas pelos efeitos climáticos, invadindo países, desmanchando nações, disseminando desespero, plantando conflitos, avolumando miséria. No acontecer do acontecer disso, milhões e milhões de pessoas dos locais invadidos reagirão para não serem desalojadas, para não serem importunadas e o chão se estampará em cor vermelha e ossos ficarão esparramados pelo chão. A barbárie se plantará na cara dos mais violentos, dos que dispuserem de meios para melhor se proteger. Todo discurso moral se esfarrapará no vento dos confrontos; todo rastro de reflexão ética se transformará em instrumento torturante de quem a praticar. Será o triunfo da barbárie entronada, sem máscara, sem vergonha, orgulhosa.

No cenário da catástrofe em andança, pode-se dizer, ninguém se organizando para enfrentá-la, para minorá-la. Expansão da produção, ampliação do capital, elevação da qualidade de vida, aumento e extensão de direitos humanos, discurso de cultivo de felicidade, de amor, de humanidade... Medidas, postura contra constrangimento moral... Destroçando as contas desse rosário, empresários, religiosos, políticos, universitários, jornalistas, professores... E a juventude estimulada para o desfrute fácil da vida, atentando-se para o prazer, para o puro da felicidade, organizando a vida pela guia da liberdade sem rédeas, treinada para respirar irresponsabilidade. Eu fico pensando: “Como essa gente se confrontará com o real do acontecer que se encaminha? Será que terá como arma apenas a expressão ‘QUE  A B S U R D O!!!” Pelo hoje, estou vendo que sim. Pensando bem, não será a reciclagem do planeta também a imposição para a reciclagem dos humanos? É de ver que no final de tudo, morrerá toda a frescura e sobrarão homens-homens, mulheres-mulheres que viverão, por bom e longo tempo, livres da existência de gente politicamente correta.

26-06-17

Voltar | Enviar por e-mail
escort bayan
Júpiter.com.br - Esmeraldo Lopes - Todos os direitos reservados